DS Contadores Associados

Como transformar a cultura da sua empresa?

Tempo, esforço, foco e um plano de ação bem estruturado são essenciais para que a mudança aconteça

Nos últimos anos, o ritmo das mudanças no meio empresarial tornou-se bastante acelerado. Em 2020, em virtude da pandemia do novo coronavírus, ficou ainda mais evidente a necessidade de se reinventar, seja para enfrentar as dificuldades impostas pelo novo cenário ou para aproveitar o momento e expandir o negócio. Não há dúvida de que o momento é de transformação, mas não basta apenas decidir mudar e tomar decisões importantes da noite para o dia. A regra de ouro é focar na cultura organizacional, pois ela é indispensável para definir como a empresa se posiciona e se diferencia no mercado.

Antes de mais nada, vale entender o que significa este termo. Cultura organizacional (também chamada de cultura empresarial e corporativa) consiste na definição da forma com que a organização conduz seus negócios e se relaciona com seus clientes e colaboradores. De acordo com a psicóloga Simone Martins, fundadora e consultora da Plug RH, é o “jeitão” da companhia, são seus ritos, artefatos e atributos: “A cultura organizacional é o DNA da organização, seja ela uma gigante ou uma microempresa”, define.

Diante de um contexto de transformações pelo qual muitos estão passando, é importante falar sobre cultura corporativa, pois qualquer mudança que impacta uma empresa vai impactar também a sua cultura. Não basta simplesmente circular um memorando informando o que será diferente a partir de amanhã, é necessário concretizar um novo método que envolva as características que constituem a essência da empresa.

Conforme Simone, geralmente, a transformação ou a mudança que são desejadas estão completamente opostas à cultura da companhia, ao seu jeito de ser. No entanto, ela garante que mudar é possível desde que exista uma jornada que envolva mudança de ritos dentro da empresa, (se necessário) na forma de estabelecer o poder, no envolvimento de mais pessoas nas decisões, na aquisição de inteligência artificial para o negócio ganhar agilidade e na adoção de formas diferenciadas de gerenciamento dos times.

Tempo, esforço, foco e um plano de ação muito estruturado serão essenciais para que a transformação ocorra, assim como a mudança de alguns ritos e artefatos da velha cultura em prol da nova cultura. Vale lembrar que o posicionamento da liderança neste processo é fundamental. “Se a alta direção da companhia não assumir um papel de embaixador dessa nova cultura, nada acontece. Ela deve ser a grande gerenciadora da mudança, atuar no mindset, trazer um outro olhar e ensinar os funcionários a entenderem a importância de novas formas de trabalho, de novas formas de fazer a mesma atividade”, ensina a consultora da Plug RH.

No Brasil, empresas que têm um olhar mais à frente vêm percebendo a importância da transformação há pelo menos 10 anos, no entanto, a pauta se destacou no último ano porque, com a chegada da pandemia, muitas companhias tiveram de fazer demissões de maneira desestruturada, colocaram colaboradores em home office às pressas e precisaram pensar em novos modelos de trabalho num piscar de olhos. Neste contexto, a cultura organizacional ganhou evidência quando algumas empresas começaram a fazer ensaios para mudança e não conseguiram mudar. 

Planejamento estratégico

Como falar de transformação digital numa cultura conservadora? Como empoderar as pessoas se o poder está centralizado? Como delegar mais se os líderes são centralizadores? Como motivar os times da empresa a produzirem mais se ela não compartilha seus resultados? Como trazer para uma cultura de muito empreendedorismo o mínimo de processo, de rotina?  

Para quem quer se transformar, o primeiro passo é elaborar um planejamento de negócio muito claro que mostre para onde a empresa quer ir e em quanto tempo. Com base nisso, deve ser feito um levantamento de quais perfis são necessários para ela. “O processo não é muito complexo, mas exige uma liderança interna de RH forte em cultura e processos ou uma consultoria de RH especializada que faça um redesenho organizacional e a implantação da cultura organizacional”, orienta a consultora. 

Painel DS CONNECT

Simone Martins será palestrante no Painel Online DS CONNECT – da DS Contadores Associados, que será realizado no dia 11 de março, às 20 horas, com o tema “A gestão do amanhã chegou! Como manter o seu time engajado ao longo de 2021” (site do evento para inscrição: https://www.sympla.com.br/a-gestao-do-amanha-chegou-como-manter-o-seu-time-engajado-ao-longo-de-2021__1132723). 

Além de psicóloga com MBA em Gestão de Pessoas e Coach Executivo certificado pelo ICI/ICF, Simone Martins reúne passagens como HR Leader em empresas como Grupo TV1, Bunge Alimentos, Cervejarias Kaiser e Coca-Cola Femsa. Também é fundadora da Plug RH, na qual conecta sua experiência de mais de 20 anos de carreira executiva com a atuação como consultora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *