DS Contadores Associados

DS Contadores disponibiliza planilha para formação de preços de instituições de ensino particulares

Gestores devem considerar diferentes fatores, como custos e investimentos, e elaborar um planejamento financeiro estratégico 

Nesta época do ano, as instituições particulares de ensino passam pelo desafio de definir as mensalidades para o próximo exercício letivo. A tarefa não é simples e exige muita atenção no cálculo para que o resultado não espante os alunos ou prejudique as finanças da escola. Para acertar o raciocínio, é necessário colocar o orçamento na ponta do lápis e fazer um bom planejamento financeiro. 

Equilibrar os gastos e as entradas é a chave para não oferecer serviços a preços muito abaixo do mercado e nem muito acima, e para desenvolver um pensamento estratégico. O diretor contábil Márcio Dorigon, da DS Contadores Associados – que atende diversas escolas particulares de Londrina e região e auxilia os gestores no processo de precificação -, orienta às instituições de ensino a avaliarem seus custos fixos e variáveis e, principalmente, definirem uma estratégia de manutenção ou de inovação perante o seu público e mercado de atuação.

Devem ser estabelecidos os fundamentos para uma boa formação de preço prevendo a estrutura operacional e a necessidade eventual de investimentos em materiais didáticos, na infraestrutura, no corpo docente e no quadro de colaboradores. A partir do momento que o gestor entende seus custos e define sua estratégia de atuação, também pode observar seus concorrentes para identificar quais são suas estratégias e preços para melhor definir os caminhos a serem seguidos e, então, apresentar seu preço aos clientes. 

Nesse contexto, a planilha de formação de preço, desenvolvida pelos profissionais da DS Contadores, facilita e acelera o processo de precificação, pois, com ela, o gestor educacional consegue planejar de forma consistente o seu próximo ano educacional atendendo questões pedagógicas, acadêmicas, de manutenção, de ampliação e de investimento. “Se não tomar cuidado na formação de preços, a tendência é que haja uma dificuldade maior para manter a instituição de ensino no médio prazo”, alerta. 

Tendo em vista a alta da inflação, o aumento nos índices de energia elétrica, por exemplo, e a tendência de acréscimo nas contas administradas pelo Governo, há uma previsão de reajuste entre 5% e 8% nos valores das anuidades educacionais, de acordo com Dorigon. “Esse acréscimo é inevitável para que a escola possa fazer uma boa prestação de serviços”, considera.

A DS Contadores Associados é especialista no segmento de educação há mais de 25 anos e pioneira em Londrina e região, unindo conhecimento técnico contábil e expertise em gestão de negócios para ajudar na tomada de decisão das instituições de ensino.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

× WhatsApp